Pinguinário



O Pinguinário abriga 10 animais da espécie Spheniscus magellanicus conhecidos como Pinguim-de-Magalhães, resgatados nas praias da região. O recinto exibe uma bela cenografia imitando seu ambiente natural, com temperatura e iluminação adequadas, onde os visitantes poderão vê-los nadando e participar da alimentação dos animais, diariamente às 11h30 e às 17h. 

Os Pinguins de Magalhães são aves marinhas com o corpo adaptado para viverem na água, eles não voam, e têm suas asas modificadas em nadadeiras. Têm aproximadamente 70cm de altura e pesam cerca de 3 a 5kg. Esta espécie de pinguim não é polar, vive em área de clima temperado, podendo sofrer variações na temperatura do ambiente de 7 a 35ºC. São encontrados na Patagônia Argentina e Chilena.

Estes animais possuem dois períodos de vida distintos: a época reprodutiva nos meses de Setembro a Março, em que os indivíduos a partir dos 5 anos formam casais; e a época não reprodutiva, entre os meses de Abril e Setembro, que passam na água, geralmente se alimentando. Neste período não reprodutivo, eles saem em busca de alimento em águas mais quentes, chegando ao nosso litoral sudeste. Normalmente em grupos de 20/30 indivíduos, vêm atrás de peixes, lulas e pequenos crustáceos, seus alimentos favoritos. É nesta ocasião que alguns deles perdem-se do bando e são encontrados nas praias, muitas vezes fracos, debilitados e necessitando de cuidados, sendo encaminhados para centros de reabilitação como  o Aquário e o Instituto Argonauta. Acredita-se que este processo seja uma seleção natural, onde os mais fracos, em sua primeira viagem não conseguem se alimentar e são deslocados de sua rota migratória e acabam sendo encontrados nas praias.