Costão Rochoso



A formação geológica do litoral norte paulista, associada às outras condições ambientais locais, possibilitou a formação do rico ecossistema a que chamamos de “costão rochoso”.

Popularmente chamado pelos caiçaras de “costeira”, este ambiente abriga uma riquíssima fauna e flora que se adapta ao batimento das ondas e correntes, à variação diária das marés e às diferentes condições de cada ponto da costa.

Neste rico ecossistema, convivem em harmonia desde comunidades de algas e invertebrados que se fixam fortemente às rochas como moluscos e crustáceos, até vertebrados, como peixes, tartarugas e outros animais que passam aí toda, ou parte, de suas vidas.

O batimento constante das ondas, especialmente durante as ressacas, obriga muitos desses animais a se fixarem firmemente sobre as pedras ou a encontrar abrigo entre elas como os ouriços, mexilhões e cracas.

Na região mais profunda, onde o batimento é menos intenso, convivem animais adaptados às tocas do fundo, como as lagostas e as garoupas.